Circuito LER para va-LER chega a São Gonçalo neste sábado

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Evento literário vai ocupar a Fazenda Colubandê, até o dia 11 de dezembro. Jovens leitores poderão conversar com escritores e participar de diversas atividades culturais.

Para a edição de 2021, em parceria com Secretaria Estadual de Educação, foram reservados mais de 30 tendas e espaços, com atividades contínuas com escritores, artistas e foi montada uma mega livraria com mais de cem mil títulos.

O município de São Gonçalo, na Região Metropolitana, recebe o Circuito LER para va-LER, a partir do deste sábado (4), na Fazenda Colubandê. A estimativa é de que em oito dias, o evento literário reúna mais de cem mil pessoas, entre estudantes, educadores, mediadores de leitura e público em geral.

Entre os convidados que já confirmaram presença estão o historiador Luiz Antônio Simas, o ganhador do Prêmio Jabuti 2021 Marcelo Ferroni, os escritores tIris Figueiredo, Vinicius Grossos, Pedro Rhuas, que atuam na literatura jovem LGBTQIA+ e MC Marechal, que tem uma produção periférica.

Fazenda Colubandê vai oferecer 30 espaços diferentes no Circuito LER para va-LER, a partir de sexta-feira (4) — Foto: Divulgação

Entre muitas atrações, o evento vai contar ainda com a Orquestra Circônica. A Cia. Palco Literário vai apresentar duas peças adaptadas de clássicos da literatura nacional: “O alienista”, de Machado de Assis, e ” O Homem que sabia javanês”, de Lima Barreto.

O Circuito LER para va-LER tem como principal objetivo fomentar a cultura e a literatura, especialmente, entre as crianças e adolescentes. E foi realizado em novembro em Petrópolis, na Região Serrana.

Circuito LER para va-LER / Edição São Gonçalo

  • Dias: 4 a 11 de dezembro
  • Horário: das 9h às 18h
  • Local: Fazenda Colubandê (Rua Expedicionário Ari Rauen, s/n – Colubandê)
  • Ingressos: R$ 30 (inteira); R$ 70 + um quilo de alimento não perecível (passaporte para todas as atrações e dias do evento); crianças de até 3 anos e maiores de 80 anos não pagam