Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Rachel de Queiroz, Rubem Fonseca, Clarice Lispector, Conceição Evaristo… o que esses e tantos outros entre os maiores nomes da literatura brasileira têm em comum? O Rio de Janeiro.

Alguns nascidos fluminenses, outros vindos de outras partes e do interior do Brasil, mas todos tendo encontrado em solo carioca o campo fértil e acolhedor que sempre manteve o Rio como o grande celeiro das letras brasileiras para nós e para o mundo.

Este celeiro de troca de ideias, de estudos, de oportunidades, e de todas as vivências que um escritor necessita para sua formação diária e eterna, que o mantém vivo e produtivo em seu universo criativo. O PRÊMIO Contos do Rio, é uma importantíssima e fundamental iniciativa para o estímulo ao fazer literário no RJ, e… quem sabe assim, em terras de Machado de Assis, venhamos a encontrar os próximos Geovani Martins?

É para isso que juntos trabalharemos.

JURADOS

Alê Motta

Fluminense nascida em São Fidélis, tendo passado ainda parte de sua juventude em Campos antes de se radicar definitivamente no Rio de Janeiro. É arquiteta formada pela UFRJ.

Leonardo Tonus

Professor em literatura brasileira na Sorbonne Université (França). Publicou diversos artigos acadêmicos sobre autores brasileiros contemporâneos e coordenou, entre outros...

Eliana Alves Cruz

Carioca, escritora e jornalista (colabora com o site The Intercept Brasil), pós-graduada em comunicação empresarial. Eleita conselheira municipal de cultura do Rio de Janeiro...

Marcelo Moutinho

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1972. É autor dos livros "Rua de dentro" (Record, 2020, 'Ferrugem" (Record, 2017), que conquistou o Prêmio Clarice Lispector, da Biblioteca Nacional; "Na obra do dia"...

Leonardo Valente

Escritor, jornalista, cientista político e diretor do Instituto de relações Internacionais e Defesa da UFRJ. É autor dos romances "Charlotte Tábua Rasa" (Pandorga Nacional, 2016)...

Anna Paula Lemos

Jornalista, Doutora e Mestre em Literatura Comparada na Faculdade de Letras - Depto. de Ciência da Literatura da UFRJ. Atualmente é Professora Adjunta do Programa de Pós-Graduação...

Alê Motta é uma fluminense nascida em São Fidélis, tendo passado ainda parte de sua juventude em Campos antes de se radicar definitivamente no Rio de Janeiro. É arquiteta formada pela UFRJ. Participou da antologia 14 novos autores brasileiros, organizada pela escritora Adriana Lisboa. É autora de Interrompidos (Editora Reformatório, 2017) e Velhos (Editora Reformatório, 2020).

Leonardo Tonus é professor em literatura brasileira na Sorbonne Université (França). Publicou diversos artigos acadêmicos sobre autores brasileiros contemporâneos e coordenou, entre outros, a publicação de Samuel Rawet: ensaios reunidos (José Olimpio, 2008), do volume 4 da Chiricú Journal: Latina/o Literatures, Arts, and Cultures (Indiana University Press, 2020) e das antologias La littérature brésilienne contemporaine — spécial Salon du Livre de Paris 2015 (Revista Pessoa, 2015), Olhar Paris (Editora Nós, 2016), Escrever Berlim (Editora Nós, 2017) e Min al mahjar ila al watan Da Terra de Migração Para a Terra Natal (Revista Pessoa/ Abu Dhabi Departement of Culture and Tourism/Kalima, 2019). Vários de seus poemas foram publicados em antologias e revistas nacionais e internacionais. É autor de duas coletâneas de poesia: Agora Vai Ser Assim (Editora Nós, 2018) e Inquietações em tempos de insônia (Editora Nós, 2019).”

Eliana Alves Cruz é carioca, escritora e jornalista (colabora com o site The Intercept Brasil), pós-graduada em comunicação empresarial. Eleita conselheira municipal de cultura do Rio de Janeiro na linha de literatura. Vencedora do concurso de romances da Fundação Cultural Palmares/MINC 2015, com a história baseada na trajetória de sua família, desde a metade do século 19, na África, até nossos dias. Autora na coletânea Cadernos Negros 39 (poesias) e 40 (contos), do Quilombhoje literatura. Também está no livro “Perdidas, histórias para crianças que não tem vez”, da Imã Editorial. Em 2017 foi uma das 10 selecionadas no concurso nacional de contos da editora Ciclo Contínuo, em homenagem ao editor Francisco de Paula Brito. Lançou em 2018 seu segundo romance: O crime do cais do Valongo, pela editora Malê, o livro foi escolhido entre os melhores do ano pelos críticos do Jornal O Globo e em 2019 foi semifinalista do Prêmio Oceanos.”

Marcelo Moutinho nasceu no Rio de Janeiro, em 1972. É autor dos livros “Rua de dentro” (Record, 2020, ‘Ferrugem” (Record, 2017), que conquistou o Prêmio Clarice Lispector, da Biblioteca Nacional; “Na obra do dia” (Rocco, 2015); “A palavra ausente” (Rocco, 2011); “Somos todos iguais nesta noite” (Rocco, 2006) e do infantil “A menina que perdeu as cores” (Pallas, 2013), entre outros.Organizou a seleta de ensaios “Canções do Rio – A cidade em letra e música” (Casa da Palavra, 2010) e antologias como “O meu lugar” (com Luiz Antonio Simas, Mórula, 2015) e “Dicionário Amoroso da Língua Portuguesa” (com Jorge reis Sá, Casa da Palavra, 2006).

Leonardo Valente é escritor, jornalista, cientista político e diretor do Instituto de relações Internacionais e Defesa da UFRJ. É autor dos romances “Charlotte Tábua Rasa” (Pandorga Nacional, 2016) “O beijo da Pombagira” (Mondrongo, 2019), finalista do Prêmio Rio de Literatura na categoria Novo Autor Fluminense e “Calote” (Mondrongo, 2020). É autor da antologia “Apoteose” (Mondrongo, 2018), finalista do Prêmio SESC de Literatura. Organizou a coletânea “Antifascistas” (com Carol Proner, Mondrongo, 2020). Participou como escritor convidado da Primavera Literária Brasileira, na França em 2019 e em 2020.

Anna Paula Soares Lemos é Jornalista, Doutora e Mestre em Literatura Comparada na Faculdade de Letras – Depto. de Ciência da Literatura da UFRJ. Atualmente é Professora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Culturas e Artes. Inter- Humanitas, PPGHCA/UNIGRANRIO. É também professora dos cursos de graduação em Jornalismo e Publicidade e Propaganda da mesma universidade. Defendeu no Mestrado a dissertação Ariano Suassuna, o palhaço-professor e sua Pedra do Reino, publicada pela Editora Multifoco. No Doutorado — com bolsa de pesquisa CNPq e PDEE- Capes — defendeu a tese Anotações de um diretor: o cinema de Federico Fellini na televisão; com pesquisa feita na La Sapieza di Roma, no Centro Sperimentale de Cinematografia di Roma e na Fondazione Federico Fellini em Rimini. É lider do grupo de pesquisa IMAGEMNO – Núcleo de Estudos em Imagens, Memórias, Narrativas e Oralidades.